Ricardo Martins
14/12/2018
Nascido na década de cinquenta, verde de ascendência e convicção natural e ambiental onde o “green” dos golfe, bowling e raguebi, atletismo…futebol e outras variantes…levaram a valorizar as pradarias e os capim/relva.

Águas azuis do Índico,  redes de pesca e barcos à vela promoveram iniciativas de natação, manutenção e promoção muscular e de ginásio. Avô ciclista, adepto de bilhar, russiana/snooker ou às três tabelas e pai hoquista e exímio patinador, esquerdino e potente encestador, rematador…desenvolveu-se a tendência para o cesto, rede ou disputa…a dois, três, cinco ou sete…pela via do esforço corporal. O jogo de berlinde, cartas, carrinhos ou damas/xadrez…potenciaram emoções fortes no ganhar/perder. BASKET! Matriz do processo de crescimento como aluno marista, a farda promoveu  o desenvolvimento do salto e corrida diagonal. Os torneios de mini (sub 10/12), iniciados (sub14), juvenis (sub 16), juniores (sub 18). Desporto escolar e federado de 1966/74 de mãos dadas e conjugadas entre a geometria do jogo e a eficácia dos rendimentos académicos, tive o privilégio de queimar etapas e integrar as melhores equipas do distrito, província e nação representando selecções. Ser do SPORTING é uma característica de personalidade bem como a liderança como responsável de grupo, chefe turma, capitão de equipa, árbitro e dirigente juvenil, associativo simplesmente mobilizador e monitor…pedagogo e professor! Como estudante de economia, universitário, dinamizei o basket interfaculdades no movimento académico em Lourenço Marques. Privilégio empolgante integrar equipas com talentos e referências da história da basquetebol e do nosso SPORTING. Jamais esquecerei finais com equipas de renome e figuras – Mário de Albuquerque, Rui Pinheiro, Nelson Serra, …professores Hermínio Barreto, Alexandre Franco; novas gerações Carlos Lisboa, Rui Miranda, João Seiça…Augusto Baganha, Luís Almeida, Carlos Sousa, Encarnação Edgar Vital…Terry Johson, Greg Howard, Jimy Hugs…registo a sombra de um adversário com 2,43 m de altura soviético Ucraniano. Os nomes servem de inspiração a tantos outros que com dignidade e frontalidade nos incentivaram e motivaram. Ser do SPORTING com símbolos, camisolas, equipamentos e cartões de atleta, sócio, dirigente e membro de claque…com solidez de relações saudáveis e de juventude. Marcar 27/30 pontos por jogo (sem cestos de 3 pontos) ou mesmo preparar como base entrosamentos e combinações de ataque/defesa desarmando tabuleiros bem mais robustos. A sensação do tempo controlado ao segundo com manutenção de bola ou mesmo marcação hxh. e/ ou jogar fisicamente debilitado. SPORTING! É único e indiscritível…orgulho e espírito olímpico. Associativismo é participar com valor nas A.G’s, respeitar os estatutos e contribuir com esforço/dedicação/devoção…rumo à Glória! A Tribuna Leonina orgulha-se de constituir-se na mudança de Vida! Fui, sou e serei sportinguista! Dois filhos e dois netos (f/m) sportinguistas como adeptos e sócios com fé.

 

 

 

As opiniões escrita e publicadas, por via de artigos de opinião ou crónicas, no site Tribuna Leonina vinculam somente os seus autores. A Tribuna Leonina é um site plural e tem no seu grupo de colaboradores e amigos, pessoas com pensamentos e sensibilidades variadas.

Por ser plural e democrática, são publicados os artigos que os autores nos fazem chegar e que, reiteramos, naturalmente, apenas os vinculam individualmente. 

A Tribuna Leonina

Close Menu