Entrevista a Ana Sofia Patrício

Ana Sofia Patrício

Presidente do Núcleo da Quinta do Conde

Presidente do Núcleo da Quinta do Conde

Sofia, é Líder do núcleo de Quinta do Conde desde?

Fui eleita pelos sócios do Núcleo na Assembleia Geral do dia 16 de Março, tendo a tomada de posse oficial sido feita no dia 21 de Abril durante os festejos do nosso 8º Aniversário.

Boa tarde, é um prazer entrevistar a líder de um dinâmico Núcleo do Sporting.

Como são normalmente os seus dias? Como se consegue dividir entre politica, Sporting e Faculdade de Direito? As 24 horas do dia são suficientes?

Boa tarde, em primeiro lugar queria agradecer por esta entrevista, e queria ainda aproveitar para vós desejar um enorme sucesso.

Os meus dias são uma correria, aliás o dia devia de ter 48h e por vezes não sei se chegavam. O pior são os fins de semana, que são curtos demais para à quantidade de coisas marcadas. Divido os meus dias, entre a Universidade, o estudo diário de forma a não deixar nenhuma matéria para trás, algum tempo com a família e amigos, existe um determinado horário do dia que aproveito para me colocar à par dos acontecimentos do dia no nosso país e acima de tudo dos acontecimentos no Sporting Clube de Portugal, essencialmente maior parte dos meus dias são passados no Núcleo e na Faculdade, com o hábito e uma boa gestão do tempo torna-se fácil conciliar tudo.

Essa sua vontade para participar ativamente no associativismo nasceu como?

Desde pequena que cresci no meio da política e do associativismo, desde miúda que vejo os meus país participarem ativamente no associativismo, e por estranho que parece acompanhei-os sempre e isso acabou por criar aquele bichinho dentro de mim, é nas associações que estamos perto da população e que conseguimos perceber aquilo que necessitam.

Como se processou a ascensão a líder do núcleo? Sentiu mais dificuldades por ser uma mulher num local que a maior parte dos frequentadores são homens?

A minha ascensão à Presidente do Núcleo deu-se de uma forma natural mas um pouco desprevenida, eu já era membro da direção, era vice-tesoureira, quando se começou a aproximar a data de entrega de listas aos órgãos dos núcleos, tínhamos falado em manter os mesmos lugares, ainda que com a substituição de um elemento. Acontece que o Presidente na altura, aliás é o meu atual vice-presidente, informou-me que se mantinha na direção mas que não nas funções de presidente, pois já o era há 8 anos e era preciso sangue novo, quando me fez o convite, para ser eu Presidente, aceitei logo, ainda que a medo, pois tinha a plena noção que as funções de presidente são muito diferentes das funções de vice-tesoureira. Na altura não me preocupou o tempo pois já dispensava muito tempo para o Núcleo. Dentro não se sente muitas dificuldades mas por vezes sente-se e ouve-se aqueles típicos comentários de que ‘as mulheres é para estarem em casa’, ‘as mulheres não percebem nada de futebol’, de fora faz confusão as pessoas, às vezes quando eu digo a alguém que sou Presidente do Núcleo do Sporting da Quinta do Conde a primeira pergunta que me fazem, é “Mas isso não é uma coisa de homens?” ou “ Deixa-te disso, isso é para os homens”. A minha avó por exemplo, cada vez que eu falo no Núcleo, diz-me logo “ai filha deixa-te disso, isso não te vai levar a lado nenhum, aquilo é só homens, tu tens é de acabar a tua licenciatura”. E dás duas uma ou temos paciência para explicar as pessoas que não é bem como elas dizem, ou então encolhe-se os ombros e sorri-se.

Está a gostar de Marcel Keizer? Como o vê?

Eu não o conhecia, ouvi falar uma ou duas vezes dele mas estou à gostar do que vejo, gosto do futebol dele, da maneira como olha o futebol, e acima de tudo gosto bastante do discurso dele. Espero que o Marcel Keizer não mude nem a sua postura nem a sua maneira de olhar o futebol, pois ele está correto. Lamento que ele irá conhecer algo que se calhar nunca tinha visto, que é a maneira como a Comunicação Social Portuguesa o vai passar de bestial à besta, ou vice-versa.

Como analisa o mandato de Frederico Varandas até ao momento?

O Frederico Varandas tomou posse no dia 9 de setembro, passaram 3 meses das eleições, acho que em 3 meses é difícil se ver muito trabalho feito mas o  Frederico e a sua direcção, já mostraram trabalho, e podemos ver isso pelo empréstimo obrigacionista, uma vitória enorme desta nova direção. Sem esquecer dos novos programas da Sporting Tv, e do quanto faziam falta novos programas que cativassem os Sportinguistas. Atualmente, faço um balanço positivo ao trabalho da Direção, sem esquecer que ainda existe muito trabalho pela frente para ser feito, e que nós estaremos aqui para apoiar e para ajudar no que for preciso.

Sentiu alterações da relação com os Núcleos após a entrada de Federico Varandas?

Sim senti, começa-se também a ver trabalho feito, e acima de tudo, existe vontade de trabalhar.

O que é necessário alterar na relação do Sporting com os Núcleos?

Acho que ainda existe muito trabalho para se fazer com os Núcleos, o sistema de votos eletrónicos nos núcleos acho que é um tema muito importante, não só para as eleições como também para as próprias AG’s pois como sabemos quem está nas regiões autónomas ou fora do país é mais difícil virem votar um Relatório de Contas. Outra das coisas que acho fundamental é uma nova abordagem da categoria de sócio Núcleo, entre muitos outros assuntos que tem de ser alterados mas que creio que o sitío ideal para serem falados e debatidos é no Congresso de Núcleos.

Falando um pouco de si:

Qual é a sua maior paixão?

A minha maior paixão é sem sombra de dúvida o Sporting Clube de Portugal, mas como qualquer outra pessoa, adoro ler, adoro passear, adoro conhecer novos sítios, adoro praia.

Sporting, cargos políticos, Faculdade de Direito, deixam-lhe tempo para outros hobbies?

Sim. Pouco, mas deixam.

Qual é o seu maior sonho?

Eu tenho dois grandes sonhos, um sem sombra de dúvida que é o SPORTING Campeão, o  outro é conseguir alcançar todos os objetivos e metas que eu própria traço para a minha vida.

Qual é o seu livro preferido e o que nele mais chamou a sua atenção?

Cinco dias e Cinco noites de Manuel Tiago, é um romance que vai relatar a vida clandestina dos anos 40  portugueses, é uma história de resistência ao regime Fascista.

Qual é o seu filme preferido e o que nele mais chamou a sua atenção?

Hotel Rwanda do Terry George, vi-o numa aula de geografia, é a história real da guerra civil entre os tutsis e os hutus, chamou-me à atenção pelo facto de ser uma história verídica, e acima de tudo pelo seu conteúdo histórico. Um filme que aconselho vivamente.

Qual era a sua profissão dos sonhos na infância?

Pediatra, que tem tudo haver com direito (risos).

Gosta de viajar? O que procura numa viajem (descanso, praia, culturas diferentes)? Qual  a melhor viajem que fez? Qual a viajem que sonha fazer?

Sim adoro. Eu procuro sempre conhecer novo sitios, novas culturas. A minha viagem de sonho é a Polonia, tenciono ir conhecer Auschwitz, é um dos maiores símbolos do holocausto, com uma história completamente “incrivel”.

Close Menu